Entrevista com o mestre de shibari Akechi Denki realizada em 1997

Você pode encontrar a versão deste artigo, traduzido para o Português por SorgBrasil de

Shibari Dojo Brasil neste link: Apreciá-lo!

 

Nota do tradutor: Esta entrevista foi traduzida do site www.tokyobound.com com autorização dos responsáveis pelo site.  A tradução foi realizada por Senhor Carlos, Revisão por Sørg e myä.  Nós do Shibari Dojo Brasil, esperamos que vocês apreciem ler esta tradução tanto quanto nós apreciamos realizá-la. Qualquer sugestão de melhoria na tradução entre em contato.

A entrevista a seguir consta no volume 6 da SM 秘密俱楽部 (SM Secret Club (Clube Secreto SM)) publicada em 1997.  Esta revista costumava ter um um papel menor dentre o porfólio da editora Tsukada Shobo Publishing  – figurando ao lado de revistas como SM Fan e SM Frontier que deixaram sua marca na era Showa (de 1925 até 1989 )  das publicações SM.

Foto da entrevista original na revista vol 6 SM Secret Club

Depois de uma sucessão desastrosa de proprietários , a Tsukada Shobo faliu em 2007. O
entrevistador para o artigo assina como Tajima Osamu, um nome bastante usual. Uma busca na internet não trouxe nenhum outro trabalho relacionado a SM sob este nome.

No entanto, curiosamente, o artigo inclui menção ao Osada Seminar (Seminário Osada), cujo pioneiro foi Osada Eikichi .

Graças a NuitdeTokyo (NdT para encurtar) pudemos agora trazer a tradução em Português desta entrevista. Ao lado de Master K, NdT é provavelmente o mais ávido colecionador de literatura SM japonesa. No passado, NdT descobriu outra entrevista com Akechi Denki (de 1976) e gentilmente a compartilhou conosco.

Para aqueles não familiarizados com o quem-é-quem do mundo Japonês do Shibari e do Kinbaku, ambos Osada Eikichi (長田英吉)Akechi Denki (明智伝鬼) são considerados grandes mestres da arte – o primeiro tendo falecido em 2001, o segundo em 2006. A provável última entrevista dada por Akechi Denki foi conduzida por Osada Steve (長田スティーブ) para a própria revista, Fetish Japan e para a SM Sniper, uma das maiores revistas para praticantes SM, a qual encerrou suas atividades em janeiro de 2009.

Antes de irmos à presente história, algumas palavras de NuitdeTokyo:

Na tradução, usei a palavra ‘fetiche’ ao que os Japoneses costumam chamar ‘mania’, porquê sinto que o uso presente da palavra em Japonês se aproxima melhor a ´fetiche’ do que a ‘mania(co)’. Eu inseri também algumas anotações no texto (indicadas como NdT). O artigo original também possui notas, mas eu as incorporei ao corpo principal do texto.

Entrevista com Akechi Denki – 1997 明智伝鬼

A primeira revista especializada em material de SM e de hentai (pervertido) foi a memorável Kitan Club que se iniciou em 1948. Seu editor de longo-tempo foi o legendárioMinomura Ko, que contribuiu de diversas maneiras para esta especial
publicação. Junto a ele, muitas pessoas – algumas famosas, outras não – podem ser chamadas de, a primeira geração SM do pós-guerra. Akechi Denki pode então ser denominado como parte da segunda geração.
(NdT: favor verificar o excelente livro do  Master K, The Beauty of Kinbaku [A Beleza
do Kinbaku] para mais informações)

A primeira geração foi fortemente marcada pela guerra. Por exemplo, um navio inimigo afundou o navio de Minomura Ko e ele foi deixado à deriva no Oceano Pacífico por vários dias. Foi neste episódio que ele prometeu a si que se por acaso ele sobrevivesse, “de agora em diante, eu farei apenas as coisas que eu gosto”. Igualmente,  Minomura Ko, conheceu uma pessoa que trabalhou na China em espionagem para a guerrilha comunista, tendo sido presa pelo exército e submetida a torturas inomináveis. O espírito de resistência que alimentou nestas condições o lançou em um erotismo não-ortodoxo. Estas foram pessoas “que viram” o espaço entre a vida e a morte.

Quando comparadas às pessoas “jovens” que ingressam no SM pelo lado gracioso da arte, há um tremendo abismo de gerações.

Para a segunda geração, a morte foi um encontro raro, uma vivência pessoal. Mas obviamente a fome e a penúria estiveram lá…

“Na escola primária, turmas de várias séries foram entuchadas em uma única sala de aula. Então havia horário para comer, e muitos estudantes eram costumeiramente deixados de lado, pois eles não tinham trazido suas marmitas; eles tinham que se virar com apenas um copo d´água. Para mim, era basicamente arroz e uma ameixa em conserva [umeboshi] por cima, mas eu vi diversos estudantes da minha série escolar morrerem. Naqueles tempos, isso não era estranho.”

A família de Akechi foi uma família de respeitáveis comerciantes. Graças a isso, seu convívio foi comparativamente privilegiado. Mas àquela época, o termo de “guerra” ainda era aplicável à situação de suprimento alimentar, que de um modo nunca visto, estava deixando suas marcas nos corpos em desenvolvimento das gerações jovens. Então, por diversas ocasiões, Akechi esteve suspenso entre a vida e a morte. Ao mesmo tempo, como poderíamos ver mais tarde, sua família esteve perto da ruína financeira.

“Naqueles tempos eu estava em crescimento. Eu tinha um interesse extremamente forte pelo corpo da mulher. E eu tinha uma vizinha, de quem eu era próximo desde o maternal. Juntos, nós inclusive brincamos de médico. O fato dela não ter um sexo masculino era muito estranho, como se ele estivesse se reduzido a uma ervilha. Eu também urinei em banheiros através das pequenas janelas deles. Eu conhecia em detalhes todos os banheiros públicos da vizinhança.” (risos)

Enquanto Akechi em seu jovens anos ainda estava mostrando um bom encaminhamento de curiosidade erótica, seu encontro com a revista “Kitan Club” tomou lugar quando ainda estava no terceiro ano da escola primária.

“Quando avistei aquilo no sebo vizinho, eu experimentei algo que irei me lembrar por toda minha vida. Folheando as páginas, eu podia ver mulheres sendo amarradas, maltratadas, aquilo era chocante a ponto de inflamar todo o meu corpo. Mas enquanto contava meus trocados para pagar a revista, o dono da loja ladrou comigo, “Isso não é coisa para crianças. Qual é o seu nome?” e fui forçado a escrever o meu nome e o meu endereço (risos). Eu fiquei frustrado por um momento, e pensei em diversas estratégias. Uma loja perto não era bom. E pensei em pedir uma para meus tios. Finalmente eu peguei minha bicicleta e fui para uma loja de aluguel de livros na cidade vizinha e aluguei uma cópia da Kitan Club sem deixar nenhum vestígio para o dono. Assim que eu saí da loja, eu passei a pedalar minha bicicleta o mais rápido que podia.”

O jovem e leitor de primeira vez de Kitan Club amadureceu rapidamente e seu primeiro bondage com mão na massa ocorreu no segundo ano do segundo grau. Sua parceira era uma garota mais nova que estava vivendo próxima da casa de sua mãe.

“Como nós tínhamos um bom relacionamento, até o terceiro ano do segundo grau, nós costumávamos tomar banho juntos. Nós chegamos a brincar de médico. Eu a cheguei a amarrar e a fazer rolar pelo chão. Mas uma vez, fomos surpeendidos pelos pais dela e eles começaram a me perseguir (risos).”

Estando ele em uma sala de maternal, ou com um amigo de infância, parece que Akechi sempre foi, desde a terna idade, uma “pessoa especial”.

As pessoas introduzidas no fetiche, elas normalmente o fazem como uma coisa estritamente pessoal, muitas vezes não se abrindo nem com a esposa ou namorada, e sentindo-se frustradas, apenas conseguem seguir até um desenvolvimento primário. Akechi provavelmente sempre teve dom especial para atrair mulheres. Mesmo em apenas uma entrevista, isso é algo que se pode sentir. Os óculos de sol negros, as vestimentas, normalmente pretas, não são simplesmente para se mostrar. Akechi fala do seu passado pesado em voz macia, histórias que normalmente deixariam as pessoas muito tensas. Estas histórias são tão interessantes que fixam fortemente a atenção do ouvinte.

Quando se lê histórias em Ladies Magazine (nesta época, Akechi
estava produzindo uma série na qual leitoras comuns se voluntariavam para ter pela primeira vez uma experiência SM, e seriam amarradas), era muito simpático uma voluntária amadora dizer, “Se for ele, eu o deixarei usar meu corpo como ele desejar.”.

“Em SM há uma relação de confiança. Se a parceira não confiar seu corpo com a mais completa paz de espírito, é aí que os acidentes acontecem. Quando estou realizando apresentações, normalmente eu amarro forte. Evidentemente que eu presto a maior atenção aos limites da parceira. E assim que está terminado, eu abraço suavemente a parceira enquanto a digo algo como “você foi muito corajosa”. A este tempo a linhagem kinbaku eclodia, e a modelo, embora portasse grandes lágrimas, se aninhava comigo. Àquela época as expressões das garotas eram realmente emocionantes.

Ouvindo isso, pode-se ter uma visão da atuação de Akechi com relação às mulheres.

Quando Akechi estava na faculdade, tentou ingressar no clube de Kendo universitário, mas foi recusado depois de um check-up médico. A febre reumática que contraiu enquanto jovem não foi completamente curada. Refletido bem, aquele era um mau sinal.

Nestes tempos, os negócios nos quais seu pai esteve envolvido falharam completamente e seu pai desapareceu. A casa foi arrestada e de fato toda a família foi dispersada. Akechi mesmo foi foçado a ingressar como aprendiz na construção civil. Naquela época, aprendizado significava realmente servir como doméstico na casa do empresário.

“Como estávamos vivendo lá, tínhamos que nos levantar às 6 horas da manhã. O ambiente era um pouco como se tivéssemos sido encarcerados. Evidentemente era fora de cogitação tocar nas ferramentas. Era realmente aprendizado apenas por observação.”

No ramo da construção, o assédio e o mau trato eram a regra. Ainda hoje existe uma cicatriz nas costas da mão direita de Akechi, resultado de um golpe de serrote por um sempai.

Então, subitamente, quando tinha 19 anos, ele sofreu um ataque cardíaco. A febre reumática havia deixado constrições nas suas válvulas cardíacas, o que significa que o sangue às vezes corria na direção contrária, em direção aos membros,  e possivelmente o levaria à morte.

“Quando o médico me falou que provavelmente eu não passaria dos trinta anos, minha visão se turvou. Mas tornar-me triste não iria servir a nenhum propósito. Eu tinha duas irmãs mais novas, que foram buscar seu próprios rumos. De tempos em tempos, eu recebia algumas cartas, nas quais não havia nenhuma menção explícita a solidão, ou das coisas estarem difíceis, mas se podia sentir isso no tom geral das cartas. Então eu prometi a mim mesmo
conseguir uma casa na qual toda a família pudesse viver junta novamente. Se eu vivesse cada dia com o dobro da intensidade, mesmo que eu morresse quanto tivesse 30, daria no mesmo que morrer com 60. Muito simples, o truque era não dormir.”

Então, ele trabalhou deixando ao seu corpo sofredor apenas 3 horas de sono por dia. Ele teve que aprender a trabalhar mais rápido que os demais. Rapidamente se tornou autônomo, recrutou alguns trabalhadores disponíveis e virou empresário e contador. No topo da sua carreira, ele contou com mais de 100 empregados e enquanto ainda tinha 30, tratou de construir sua própria casa e trazer de volta sua mãe, suas irmãs e mesmo seu pai.

Foi nesta hora que seus desejos SM começaram a lhe arder novamente. Usando seu próprio corpo como cobaia, ele aprofundou seus estudos de shibari por observação e cópia.

Quando se realiza shibari, onde o peso do corpo tensiona? Em Ebi Shibari, até que ponto pode se curvar o corpo? Quando se faz shibari com faixas de borracha e você quer testar limites, por quanto tempo você as pode deixar atadas? Tudo isso ele tentou compreender.

“Eu também realizei tsuri, e provavelmente eu fiz algumas das montagens mais absurdas de shibari. Me recordo que o ato de amarrar a mim mesmo criava um sentimento de intoxicação psicológica. Como tal, eu penso que o S e o M são duas faces da mesma entidade.”

“Tarde da noite, quando o trabalho estava deserto, às vezes eu tentava convencer a uma das garotas da companhia a se deixar amarrar. Como meu coração era ruim, eu normalmente usava um sarashi (uma faixa de algodão branco envolto ao peito) por baixo das minhas vestimentas. Eu o retirava e o usava para amarrar a garota (risos), mesmo que o local fosse mesmo um comércio ou uma loja de departamentos, nós íamos rumando atados e aos encontrões em meio a manequins. Eu armei um grande número de plays naquela época. Mesmo sendo proprietário do negócio, seduzir uma empregada, devido às futuras consequências, demanda certamente um bocado de imprudência. Eu obtive uma boa compreensão do significado de kinbaku.”

Certamente houve uma máxima especial para os momentos nos quais Akechi trazia
uma mulher para junto de si. O mais importante, para ele, naquele tempo,  não existiam ‘consequências futuras’.

“De qualquer maneira, eu permanecia na idéia que tinha apenas mais 10 anos para viver. Então para mim uma namorada seria uma pessoa que tivesse aceito morrer comigo. Eu estava tendo apenas 3-4 horas de sono por semana indo para longos passeios de automóvel pelas madrugadas com a minha namorada. A beijando enquanto dirigia a velocidades ensandecidas em alguma estrada montanhosa. Isso é uma maneira de se testar a sorte. Eu não estava certo até quanto esta garota poderia ir. Mas depois, ela escorregou ao espaço sob o volante para chupar meu pau enquanto eu dirigia. Quando eu estava gozando, a exaustão me pegou e quando eu percebi, eu havia batido numa casa em um vilarejo. Ambos estavam totalmente nus (risos).”

Aparte ao trabalho e ao SM, uma outra coisa o absorvia a atenção: a jogatina. Akechi estava jogando como profissional, agressivamente e arriscadamente. Ele andava apostando em jogo da maneira que se aposta nas corridas de cavalo. Em outras palavras, todas as noites, dezenas de milhares de dólares iriam mudar de mãos. Se você perdesse provavelmente alguém iria lhe limpar as mãos.

“Eu tinha diante de mim aquele cara, vestindo um chapéu fino e um cachecol, eu lhe olhava como se fosse lhe dar um pouco de anfetamina para avivar a atmosfera. Como se ele pudesse se aproveitar da energia desviada do oponente para incrementar seu poder de concentração, treinando pisar com os pés nus sobre gelo disposto sob a mesa de carteado.”

De fato aquilo era realidade que se parecia com filme. Atualmente, o carteado é considerado um esporte. Naquela época se associava à jogatina um profundo odor de submundo. “De alguma maneira, era próximo ao SM,” diz Akechi com um sorriso irônico.

Justamente naquele período, o Japão entrou num período de crescimento intenso. Akechi
dispendiou sua terceira década vivendo à velocidade duplicada ou triplicada. Mas finalmente este modo de vida cobrou seu preço.

“Quando fiz 30, comecei a vomitar sangue e fui levado ao hospital.”

Mas enquanto estava se recuperando no hospital, alheio a tudo, um bocado de coisas aconteciam. Seu pai que assumiu a direção da companhia após a internação do filho e começou a se desentender com os empregados. Akechi já estava casado pela primeira vez, mas neste período o mal relacionamento com sua esposa e sua mãe vieram à tona. E simultaneamente, os negócios da companhia começaram a ir mal.

“Os empregados vieram ao hospital e protestaram que não podiam trabalhar sob o mando daquele cara (meu pai). Meu pai protestou. As dívidas começaram a se acumular. Minha esposa chorava. Embora eu não devesse receber visitas, havia toda aquela gritaria em torno da minha cama. Ao final, minha esposa abandonou meu filho recém nascido no meu quarto hospitalar e desapareceu.”

“Me senti obrigado a fazer algo que estava realmente além das minhas forças àquele momento; e cambaleando como um sonâmbulo, rumei no meio da madrugada pelo hospital. Também naquele momento, eu tive algumas experiências de morte próxima. Eu estava flutuando junto ao teto do quarto. E podia ver o topo da cabeça dos meus familiares no quarto.”

Finalmente, graças a um milagre realizado por um excelente cirurgião cardíaco, Akechi pode se recuperar. Mas quando finalmente deixou o hospital, sua companhia estava falida, e ele teve que entregar a casa que havia construído.

“Meu pai estava novamente em apuros e ingressou em especulações dúbias. Eu o questionei se ele queria a família novamente dispersada e comecei a bater nele. Mas meu pai, normalmente grosseiro e com fortes braços, foi-se ao chão e coberto de sujeira começou a chorar. Vendo isso eu comecei a chorar tambem. Era apenas uma casa. Nós podemos construir uma outra, não deviamos nos afligir.”

Akechi se colocou novamente em ação. Era a segunda metade dos anos setenta e naquela época ele teve um encontro predestinado.

Sakurada Denjiro, que àquela época estava dirigindo um grupo de teatro de submundo
chamado ‘Sekai Gekijo‘ (Teatro do Mundo), havia recém fundado a GSG Planning para organizar apresentações SM. O ano era 1978. Sakurada foi um visitante frequente nos Osada Seminar, mas em termos de SM, ele era realmente um amador. Em resumo, ele angariou um monte de dinheiro atraindo pessoas para virem e assistir as apresentações que eram um pouco mais que um teatro escandaloso. Assistindo aquilo, Akechi ficou profundamente desapontado.

“Aquilo era realmente um blefe. Era apenas um paliativo que jamais iria satisfazer uma pessoa em busca da coisa verdadeira. Ao final da apresentação, eu tratei de falar com Sakurada. ‘O que você está fazendo não é bom’, eu disse. Eu o enviei um maço de edições anteriores da Kitan Club. Uma coisa levando a outra, acabou que aderi ao seu grupo teatral como Shibarishi ou supervisor.”

Ao contrário do que se pensa, o teatro de submundo e o SM possuem uma grande afinidade . Teryama Shiji (diretor do grupo teatral de submundo Tenjosajiki (A Galeria Superior) costumava dizer que o teatro é uma máquina para a “autopunição física”. Em 1970, na festa de lançamento da Kachikujin Yapoo (Yapoo: O Gado Humano), os integrantes do grupo Tenjosajiki encenaram uma apresentação SM.

(NdT: Kachikyjin Yapoo é uma famosa antecipação do romance SM em focado no ponto de vista do homem submisso. Escrito por Numa Shozo, foi publicado originalmente
em uma série de números da Kitan Club entre 1957 e 1959, honradamente, por Mishima Yukio. A primeira edição em formato de livro ocorreu em 1970 devido a censura e o artigo se refere à festa de lançamento desta edição. Há uma tradução Francesa de 1970, que recebeu o prêmio de literatura Sade, Paris 978-02268055664 para o volume 1/3. Não estou certo se existem versões em Inglês, embora o livro seja amplamente referido por pesquisadores da subcultura Japonesa. O termo Yapoo foi amplamente utilizado especialmente por produtores de filmes de homens submissos).

Diversos grupos teatrais incluíram igualmente atrizes em gyaku ebi tsuri e recebendo punição física como uma maneira de criar performances com forte impacto visual. O “Scandalous Theater Group” liderado por Tamai, este também foi um dos grupos especializados em performances SM. Em termos de subcultura, não é, em si, muito surpreendente que grupos de teatro de submundo se sentissem próximos ao SM e da “linha de frente da sexualidade”.

A CSG Planning (Planejamento CSG) prontamente introduziu diversas plays que Akechi Denki esteve concebendo por anos. Progressivamente, o que era um projeto secundário se tornou o foco principal. As noites em que ultrapassada a teatralidade, apresentavam um shibari verdadeiro estavam ganhando audiência. Elas passaram a se tornar o foco de venda das apresentaçãoes da CSG, iniciando uma tradição que continua até os dias de hoje, com as apresentações ao vivo de Akechi. Ao mesmo tempo, Akechi finalmente adotou o nome de Akechi Denki.

“Poder amarrar a superpopular atriz Kurosawa Mayumi foi realmente uma ótima oportunidade. Ela me disse que não possuíra nenhuma tendência M/sub. Ela tinha realmente uma ótima aparência. Como a parte de shibari das apresentações não tinham programação fixa, eram mais como que uma improvisação ad-libido, baseada no sentimento do local, um evento no qual cada amarração era realmente executada ao vivo. Apresentar amarrações diferentes a cada vez era realmente, realmente difícil. Mas quando você se sente bem fazendo isso, é muito prazeiroso,” explica Akechi, rememorando os seus tempos com a CSG Planning.

Após o período CSG, Akechi  apareceu principalmente em Tokyo SM, SM Bomber
e SM Suizokan. (Estas três séries de apresentações resultaram numa divisão da CSG Planning). Dentre elas, as performances extraordinárias organizadas pela SM Bomber ainda são faladas nos círculos fetichistas. E ainda há uma amizade óbvia entre todos estes grupos relacionados, e Akechi foi algumas vezes convidado como performista convidado adjunto e pode exibir um pouco de ação com cordas das quais ficou especialmente orgulhoso. Em outras palavas, Akechi continou a apresentar três vezes mais energia que qualquer ser humano normal, e , dada a ocasião, ele podia ser profundamente agressivo em sua afinidade ao mundo do fetiche. Esta é provavemente a melhor maneira de ver as coisas. Entre as pessoas do fetiche (sem limitar alguém apenas ao SM), normalmente existe uma certa dificuldade em agir e o sentimento de se sentir arrolhado, o que não é comum a Akechi.

Se a CSG Planning foi o que o transformou em Akechi Denki, a SM Bomber foi o local onde
desenvolveu e poliu suas proficiências.

A SM Bomber se dissolveu depois de 2 anos e Akechi não pode evitar um curto um período de descanso. No entanto, os fãs que acumulou desde os tempos da CSG não o deixaram quieto.

“Nos tempos da CSG Planning, ouve uma Associação para Membros Especiais que foi uma espécie de círculo devotado às performances de feitiche e fui colocado entre os respeitáveis deste círculo. O círculo de membros me disse, ‘Por favor, reinicie suas atividades,’ e este foi o início do Akechi Denki Kinbaku Photography Club (Clube de Fotografia de Kinbaku Akechi Denki). No entanto, diversos membros não eram tão jovens assim e não podiam esperar tanto, ou se mudaram, então houve uma piora no caixa. Com a intenção de servir de via para captar novos membros e realizar as apresentações ao vivo novamente, o Phantom Show iniciou em 1987. Ele foi o predecessor do atual (NdT: em 1996 quando o artigo foi escritoStudio Phantom. Durante as apresentações do Phantom Show, eu realizei um número de ‘tsuri-otosu’ (derrubar da suspensão) que consiste em deixar a modelo cair como uma pedra de uma suspensão a alguns centímetros do chão. Na queda, a koshi-nawa (Nota do Tradutor: corda do quadrilestala agudamente. Quando você olha aquilo, é muito impressionante. Mas se você cometer qualquer erro, a mulher irá mesmo colidir contra o chão e então você terá um acidente grave. A técnica requer boa coordenação e controle total sobre a tensão da corda e poucas pessoas tentam isso. Há algumas ocasiões em que você arremessa pequenos pedaços de cimento à modelo amarrada e ela pode apenas se desviar deles no último segundo. O olhar congelado de pavor da modelo e a boca aberta dos espectadores surpresos é algo que eu nunca pude dar conta. Talvez em algumas vezes eu tenha ido longe demais (risos).”

Embora a CSG Planning tenha terminado, Akechi não se desencorajou. Neste momento (i.e. 1996), Akechi Denki e o Studio Phantom estão realizando apresentações do conhecido clube SM Nakano Queen (NdT: o espaço ainda existe atualmente, em 2009). E mais, está
coordenando cinco outros círculos que também participam de numerosos filmes e vídeos.

Um dos projetos é a colaboração entre SM e Noh (NdT: o tradicional teatro Japonês de máscaras). O objetivo é mostrar a beleza do Kinbaku no contexto da dança Noh. Evidentemente que é uma fantasia, pois eu não poderia locar o Tokyo National Theater (Teatro Nacional de Tóquio) para apresentar meu SM, então eu tive que descobrir uma maneira de fazer meu trabalho. Isso ainda é um segredo. Por favor venha e assista a apresentação.” (NdT: não estamos certos a qual apresentação Akechi está aludindo nesta passagem).

Akeshi realizou, no passado, apresentações com um pianista. E se pode pensar que estas
performances conjuntas com um sentimento de remix estão contribuindo para abrir e expor as possibilidades do SM. Então, desejamos a Akeshi todo sucesso nesta empreitada.


Deixe uma resposta